Ambiente fechado

Concordo perfeitamente: investir na educação ambiental das crianças é investir no futuro da conservação da natureza. E também: tenha você 20, 30, 50 ou mais anos de vida urbana terá ouvido falar de lixo, consumo e poluição desde criança, e se algo mais parece-lhe saber agora  deve ser que o lixo aumentou, o consumo é a mola do progresso, a poluição chegou aos céus e que  não é por falta de dados e estudos em matéria de meio ambiente que o planeta está no sufoco. Concluo, portanto, que a educação das “futuras” gerações em matéria ambiente não rende tanto assim. Pelo menos, a educação de sala de aula, a educação de olho nos fatos do mundo urbano e focada  na limpeza da calçada de frente de casa.

 

O que é afinal educação ambiental se não introdução à observação e compreensão dos fenômenos naturais; sentir o cheiro da terra, o gosto de seus frutos, o respiro poderoso da sua vida pela alternância de humores e estações; a surpresa de encontros com  novas formas de vida animal e vegetal; sentir-se em casa, enfim, ao caminhar sobre ela, a terra, e nela, a natureza?

 

Ambientalista “desambientado” que pra saber do tempo já não olha para o céu, que não sabe ler, mas para o celular, terá que  abrir as portas da natureza e meter-se nela e nela levar o aprendiz. Entre paredes, pode não perceber de ser apenas  um mestre de limpeza e higiene domésticas.

(Nestore)

 

Confira mais publicações no Blog da Convidas:

Ambiente fechado